Login:
Senha:
Pesquisa:
 
 
Empresa Clientes Produtos Links Indexadores Balancetes Notícias Fale Conosco Informações Sobre Instituições Financeiras Parcerias:




 
Confiança na aprovação da reforma da Previdência

Apesar de sinalizar que pode deixar o ministério, caso a agenda econômica não seja uma prioridade, como afirmou em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o ministro da Economia, Paulo Guedes, recentemente afirmou estar bastante otimista com a aprovação da reforma da Previdência. Guedes disse que a reforma deverá ser aprovada dentro de 60 a 90 dias pelo Congresso Nacional. Ressaltou ainda que a rapidez na aprovação deve ocorrer porque o Senado já está acompanhando o assunto em uma comissão paralela, o que, segundo o ministro, evitará o alongamento do prazo para a votação depois de aprovada na Câmara dos Deputados.

Em matéria publicada na revista Veja, o ministro afirmou que o presidente Jair Bolsonaro está totalmente empenhado em aprovar a reforma nos moldes em que o projeto foi enviado e que acredita em uma união política em torno da agenda econômica do governo.

Paulo Guedes também esteve recentemente na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde almoçou com o presidente da entidade, Paulo Skaf, 28 empresários, acionistas de grandes grupos empresariais, diretores da entidade e presidentes de associações. O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, reiterou que o ministro da Economia está bastante otimistas de que as reformas serão aprovadas e terão um impacto fiscal em torno de R$ 1 trilhão, gerando uma economia de R$ 100 bilhões por ano, o que praticamente zeraria o déficit primário.

Ainda em matéria da revista Veja, Guedes reconhece que há uma margem de negociação, que pode reduzir a estimativa de redução de R$ 1 trilhão para R$ 800 bilhões, e destacou ainda que a reforma previdenciária não está sendo apresentada apenas para equilibrar as contas públicas, mas que também se propõe a corrigir enormes desigualdades.

Skaf acredita que há um clima favorável no Congresso para a aprovação da reforma. Segundo ele, no governo passado, quando ela foi discutida, não haviam muitos deputados que claramente falavam abertamente estar de acordo, e que iriam votar a favor. Hoje o cenário é diferente. O Brasil não tem outra alternativa, afirma.

Em evento organizado pelo Correio Braziliense e pelo Estado de Minas, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Sebrae, especialistas, parlamentares e representantes do governo e da indústria defenderam, a aprovação de alterações nas regras de pagamento de aposentadorias e pensões como uma forma de pavimentar o caminho para o crescimento econômico do Brasil.

Para o presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência na Câmara, deputado Marcelo Ramos, o Brasil tem dois caminhos: aumentar imposto ou cortar gastos públicos. A seu ver, o segundo caminho é o que parece mais responsável. A Reforma da Previdência é um passo inicial urgente, necessário, inegociável, para que o Brasil possa retomar o caminho para um futuro de prosperidade, disse.

Com a reforma da Previdência aprovada, Guedes afirma que o país entrará em um período com uma agencia extremamente positiva. Acreditamos que isso abrirá caminho para o crescimento da economia e atrairá investimentos externos.